fbpx

Trabalho do futuro: 7 motivos para você se especializar em drones

Drones são ferramentas para o trabalho do futuro. Até julho de 2018, foram registrados na Agência Nacional de Aviação Civil, a ANAC, 43.621 mil aeronaves, das quais 16.514 mil são para uso profissional, ou seja, 37,85% do total. Isso representa um volume muito significativo e que elimina qualquer questionamento acerca do uso desse equipamento no mundo corporativo.

A versatilidade dessa ferramenta e as possibilidades de uso em todos os segmentos econômicos e sociais justificam esse número, que em julho de 2017 era de apenas 5.375 unidades. Como vimos, o aumento foi de cerca de 30%.

Apesar disso, essa multiplicação de drones no ambiente organizacional levanta outras indagações: existem profissionais preparados para aproveitar as novas oportunidades desse mercado? O país tem condições para amparar a atividade?

Neste artigo, vamos responder esses e outros questionamentos que tratam da importância das pessoas e dos setores econômicos se adaptarem às novas possibilidades de trabalho do futuro. Confira!

1. Compliance

Drones são classificados pelo tipo de voo, relacionado ao contato visual mantido com a aeronave — BVLOS, VLOS ou EVLOS, mas também podem ser categorizados pelo seu peso — acima de 150 kg, acima de 25 kg e abaixo ou igual a 150 kg ou abaixo ou igual a 25 kg.

O compliance diz respeito aos aspectos legais inerentes à atividade e a essa classificação em questão e garante segurança para os profissionais que optam pela atividade.

Os requisitos legais estão presentes no Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial — RBAC-E n.º 94 da ANAC, aprovado em 2 de maio de 2017, e que determina:

  • proibição de equipamentos totalmente autônomos;
  • idade mínima para pilotagem de 18 anos;
  • decolagens e pousos somente em locais distantes de terceiros;
  • somente o transporte de equipamentos fotográficos, filmadoras e computadores;
  • habilitação e CMA (Certificado Médico Aeronáutico) obrigatórios para pilotos de aeronaves acima de 25 Kg;
  • obrigação da contratação de uma apólice de seguro com cobertura contra danos a terceiros nas operações de aeronaves de uso não recreativo.

2. Inovação

O futuro desse equipamento está na aplicação nas áreas de:

  • operações aeroportuárias, no apoio em atividades como a inspeção de uma aeronave comercial — como anunciado pela easyJet, que planeja revisar a sua frota de aviões, reduzindo o tempo e os custos com esses procedimentos;
  • transporte de mercadorias, como já testado por empresas varejistas e de comércio eletrônico (Walmart, Amazon e Alibaba);
  • locomoção de passageiros, o que, de forma ágil e segura, poderá incrementar essa atividade, tornando-a mais competitiva.

O maior objetivo da entrada desse tipo de equipamento para o transporte de pessoas no espaço aéreo mundial é aumentar a confiabilidade, a eficiência e a sustentabilidade da atividade a um custo reduzido e bem abaixo do que é praticado atualmente.

3. Diferencial competitivo – Trabalho do Futuro

Uma empresa que desenvolve seus processos amparados nessa tecnologia em seu ciclo de produção ou em alguma fase da cadeia logística, como na distribuição dos produtos aos clientes, na contagem de estoque ou na manutenção e no monitoramento de armazéns, pode reduzir consideravelmente seus custos de produção e assumir uma vantagem competitiva no mercado frente aos seus concorrentes.

4. Diversidade de aplicações

Drones são requisitados em diversos segmentos que fogem do usual, como a filmagem e a fotografia:

  • governos buscam aeronaves e vítimas de desastres aéreos;
  • bombeiros combatem o Aedes Aegypti e os incêndios, além de realizarem resgates em casos de afogamento;
  • empresas de mineração, como a Rio Tinto, desenvolvem métodos de monitoramento de estoques, localização de equipamentos e busca de áreas para exploração ao redor do mundo;
  • militares usam o equipamento como arma, como ocorreu no assassinato de dois membros da Al Qaeda durante bombardeio na província de Hadramut, no Iêmen;
  • a Organização das Nações Unidas (ONU) utiliza a ferramenta em missões de paz, como em Kivu Norte, na República Democrática do Congo;
  • empresas usam para fazer reconhecimento facial;
  • profissionais utilizam para a entrega de medicamentos, vacinas, bolsas de sangue e outros insumos medicinais em zonas perigosas e de difícil acesso;
  • instituições fazem inspeções em locais perigosos.

5. Profissionais capacitados

No mercado de trabalho desse tipo de atividade, ainda falta profissionais qualificados que, além de terem cursos que capacitam operações com drones, entendem das normas aplicadas no segmento e em questões sobre o espaço aéreo, como mudanças meteorológicas e elaboração de planos de voo.

São indivíduos com formação multidisciplinar mais flexível, com domínio das ferramentas que complementam a atividade, como editores de imagens e câmeras fotográficas, mas também dominam outros idiomas, têm fortes competências emocionais e são capazes de compreender e aplicar requisitos mínimos de segurança e empreendedorismo.

O setor requer um profissional que ainda seja capaz de registrar todas as imagens produzidas com qualidade. Para se especializar em fotografia e filmagens, é preciso algumas habilidades específicas, como entender de algumas técnicas fotográficas.

Operadores de câmeras de drones viajam para diversos lugares do mundo para atuar em produções diversas e em eventos.

6. Ciclo do serviço

O profissional que não tem todos os requisitos para se tornar um bom operador de drone ou de câmeras fotográficas ainda pode desenvolver habilidades de pós-produção de imagens e de filmagens produzidas com as aeronaves.

Isso significa aprender a editar o trabalho em ferramentas específicas, com softwares que transformam imagens brutas em produções envolventes, ou, ainda, fazer a manutenção mecânica do equipamento.

Esse pode ser o primeiro passo para aqueles que ainda temem se aventurar nessa carreira tão especial!

7. Tendências

A fórmula para o sucesso em trabalhos do futuro é operar drones, investir em treinamento por meio de diversos cursos que já estão disponíveis no mercado, oferecer maior qualidade no serviço com customizações que se adaptam às necessidades de cada cliente ou situação e se atualizar quanto às novidades de equipamentos, legislação e acessórios relacionados ao setor.

Assim como o mercado de drones, a carreira para quem trabalha com esse tipo de equipamento é crescente e não cairá em desuso, pois uma mente ou um campo de atividade que se abre à inovação jamais retorna para o seu tamanho original!

Está preparado para o trabalho do futuro? Conheça também novas tecnologias disponíveis para o setor de construção civil que prometem reduzir os custos das obras e aumentar a eficiência do gerenciamento desse setor!

Curso Mapeamento aéreo com Drones. Garanta a sua vaga assinando a nossa lista de espera. Aprenda com quem a 8 anos faz acontecer!
Assine agora mesmo!

1 Comentário

Comentários estão bloqueados no momento.

Minimum 4 characters