fbpx

O que considerar ao contratar um curso de drone

O mercado de drones cresce exponencialmente à medida que surgem novas funcionalidades para esse equipamento tão versátil.

Além de já serem amplamente utilizados em eventos, pois fazem vídeos e fotografias aéreas de extrema qualidade, ajudam no mapeamento aéreo da construção civil e na vigilância de grandes áreas, entre outras aplicações.

Já são testados para entrega de mercadorias, medicamentos e insumos médicos em áreas de conflito ou de difícil acesso, na realização de salvamentos, combate a incêndios, reconhecimento facial e uma quantidade imensa de usos, que exigem uma qualificação mínima para operar o equipamento.

O curso de drones é a solução para esse problema, pois além de ensinar como operar VANTs (Veículo Aéreo não Tripulado), ainda orienta os alunos quanto ao compliance no setor, manutenção preventiva e corretiva do equipamento, técnicas de voo e de fotografia e filmagem.

Por isso, neste post vamos abordar o que é preciso considerar na escolha do curso de drones mais adequado para ajudar na implementação desses novos serviços. Vamos lá?

Defina seu objetivo antes de escolher um curso de drone

O primeiro passo para escolher o curso de drones é determinar qual será o seu objetivo no mercado de trabalho. É mapeamento aéreo? Filmagem e fotografia de eventos? Fazer viagens pelo mundo para obter as melhores imagens de paisagens?

Ou você prefere realizar serviços complementares do setor, como a manutenção dos equipamentos e tratamento das imagens?

Existem cursos abrangentes, assim como os mais específicos para cada uma dessas aplicações. Por isso, defina seu objetivo para se especializar, mas não pare de buscar por qualificação ou limite seu aprendizado à apenas uma área, pois o mercado é promissor e demanda profissionais em todos os segmentos.

Verifique se o curso instrui quanto a questões legais

Além da falta de preparo do piloto ser um fator perigoso para as operações do equipamento em relação à segurança dos envolvidos e das pessoas que estão em seu entorno, é preciso seguir todas as condições legais para que o voo seja permitido pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Esse órgão regulador do setor, juntamente com a Anatel, criou legislações específicas para garantir essa segurança. Grande parte desses requisitos legais está presentes no RBAC-E — Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial de n.º 94, aprovado em 2 de maio de 2017. Entre os aspectos contidos nessa regulamentação, destacamos:

  • o equipamento somente pode ser usado em um raio de 30 metros horizontais do local do voo;
  • a altitude mínima do equipamento é de 120 metros do solo;
  • drones só devem ser usados se forem operados por um piloto, ou seja, equipamentos totalmente autônomos são proibidos;
  • a classificação do tipo de voo — BVLOS, VLOS ou EVLOS — relacionado ao contato visual mantido entre o piloto e a aeronave, ou o seu peso, determinam a necessidade de certificação para o piloto;
  • a idade mínima para pilotagem é de 18 anos;
  • por enquanto, somente é permitido o transporte de equipamentos fotográficos e computadores;
  • é obrigada a contratação de uma apólice de seguro com cobertura contra danos a terceiros para todas as operações de uso comercial.

Ao contratar um curso de drone, observe se as aulas teóricas reforcem a importância de seguir a essa regulamentação, principalmente para garantir que os profissionais tenham consciência da sua responsabilidade sobre os bens e a vida de terceiros quando operam o equipamento.

Confira a carga horária, tanto aulas teóricas e práticas

A carga horária de um curso como este varia conforme o órgão ou instituição que o disponibiliza. Mas a grande maioria dura em média um ano e as aulas são diárias.

A base teórica consiste em abordar a história desses aparelhos, todos os tipos de drones disponíveis para cada aplicação e especialmente a legislação do setor.

Já a parte prática, essencial para garantir a capacitação adequada dos alunos, exige um volume mínimo de horas de voo com o equipamento e permite que o conhecimento teórico adquirido seja avaliado.

Além disso, o curso amplia o conhecimento do aluno quanto à aerodinâmica e a robótica da aeronave e, principalmente, em relação à manutenção do equipamento. Esse é um fator de extrema importância para garantir a segurança do voo, pois permite que alguns problemas sejam sanados pelo próprio piloto.

Com noções de manutenção preventiva o profissional pode operar com tranquilidade seus drones, economiza tempo de manutenção corretiva, despesas com determinados serviços e, ainda, aumenta a vida útil do equipamento.

Observe se os professores são qualificados

Os instrutores do curso precisam de uma licença para lecionarem sobre voos com drone. Essa autorização pode ser concedida pela Anac inclusive para o ensino a distância, forma de aprendizagem interessante para aqueles que moram em cidades pequenas ou já utilizam esse tipo de aeronave em seu dia a dia, porém sem uma certificação reconhecida.

Além disso, os instrutores devem ter profundo conhecimento na área. Assim, podem transmitir segurança aos alunos quanto às principais técnicas e planos de voo, mapeamento aéreo, análise de condições climáticas, empreendedorismo e outros conhecimentos essenciais para um desempenho mais profissional de uso desse equipamento.

Cheque se o curso ajudará você a escolher o melhor equipamento

Existem modelos no mercado com condições técnicas que possibilitam realizar diversas funções e atividades. Apesar disso, existem modelos específicos que garantem mais qualidade ao resultado do trabalho com um melhor custo-benefício.

Somente com conhecimento técnico apropriado o operador de drones pode escolher o equipamento e acessórios de operações mais adequados. Isso porque existem funções muito específicas. A inspeção térmica, por exemplo, exige que o drone seja capaz de identificar diferentes temperaturas. Já o mapeamento aéreo demanda mais tempo de autonomia de voo.

Ao entender melhor a atividade desempenhada com o drone, pode-se investir mais num equipamento específico, além dos itens obrigatórios para um desempenho ideal:

  • um drone de última geração exige um bom dispositivo móvel com processador ágil, tela maior e placa de vídeo de qualidade, para coordenar as operações;
  • o cartão de memória extra é de extrema importância para fazer muitas horas de imagem ou evitar a falha em um dos cartões acoplados ao equipamento;
  • o sunshade evita que o visor da câmera seja ofuscado;
  • baterias extras são itens obrigatórios para fechar um ciclo inteiro de voo e recarregar o drone durante um trabalho;
  • hub de bateria facilita o acondicionamento das baterias junto ao restante do material;
  • o notebook permite fazer edições de imagem, por meio de aplicativos que melhoram a qualidade do trabalho, como Adobe Photoshop, Adobe Premiere e Agisoft Photoscan;
  • neckstrap permite pendurar o rádio controle no pescoço para tornar mais cômoda a operação.

Como você pôde ver, operar um aparelho desses profissionalmente não é tão fácil e somente por meio de um curso de drone adequado é possível ter todo o conhecimento e segurança necessários para um desempenho com maior diferencial.

Se você quer trabalhar nessa atividade mas ainda não sabe como se especializar, conheça aqui a gama de cursos oferecidos pela MultiDrones, tanto presenciais quanto online, temos um curso ideal para o seu projeto!

Aulas gratuitas manutenção e preservação de drones

 

Minimum 4 characters
%d blogueiros gostam disto: